Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

sábado, 21 de abril de 2012

COLEÇÃO PARTICULAR (29)


O AMARELO

O amarelo se fecha,
Excludente.

Ferida incurável
Sobre o verde.
Lanterna circunscrita
Contra o azul.
Veia que lateja
Mas se retrai
No meio do vermelho
Vasoconstritor.

Oráculo indecifrável,
Queima,
Autônoma cor.


Paul Klee, Fire at Full Moon, aquarela, 1933.

5 comentários:

Daniela Delias disse...

O amarelo impõe-se. E os versos são lindos...

Bjo,

:)

Raul Motta disse...

Li não sei aonde que o Klee se disciplinou no preto e branco, esgotou suas possibilidades, até partir pro uso da cor.

Quer dizer: esse círculo amarelo está justamente aí, não poderia estar em outro lugar nem de outro jeito ou tom - e as palavras e os versos e as estrofes também!

Muita coragem pra encarar esse amarelo...

Abraços!

Samara Bassi disse...

gema de ovo
gemente tesouro
nascente do sol
arrebol solar
de se esconder nos traços
um circular abraço
de não se perder no espaço.

Meu carinho, Marco
Sam

Bípede Falante disse...

Durante muitos muitos anos foi a minha cor preferida.
Beijoss

Cris de Souza disse...

“ amar é um elo
entre o azul
e o amarelo. “


(Leminski)


E daí??? Que reparo um arco-íris...