Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

POEMAS EVISCERADOS (9)



LENDÁRIO

Quando abrimos sua imaginação
Uma onda retida
Saltou para fora
E tudo se envolveu em maresia:
Era o parto do que deveria ser marinho
Não fosse natimorto.

Recolhemos os despojos íntimos
Tal qual esvaziam as redes
Os pescadores:

Búzios ácidos
Algas
Anzóis
Alguns peixes sem olhos
Anêmonas sonâmbulas
Areia sal sal sal
E um fragmento
Do mítico tridente
De Poseidon.


3 comentários:

Tania regina Contreiras disse...


Onde há lenda há verdade: na poesia!

Maravilhoso. Genial, genial, sempre, Marquinho.

Beijos,

ᄊム尺goん disse...

A vida é
um ciclo
que se conserta
a cada volta

acho eu.


abç

cirandeira disse...

Que a fúria de Poseidon nos ajude a recolher cardumes de peixes vivos carregados por sereias flutuando em calendários renovados.

Grande abraço, Marcantonio!
Beijos