Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

sábado, 20 de julho de 2013

ABECEDÁRIO (v)



“V”, DE VERBAL

Passeio mentalmente
(é sempre apressadamente)
Pelos três reinos da natureza
Em busca de uma metáfora
Para o teu corpo:

Extraí amostra de vegetal,
Planta que dá única flor,
Corola profunda sanguínea,
Pétalas ajustáveis, carnívoras.

(Não está bem.)

De outro reino capturei
Ser alado,
Asa que salta nua,
Rodeia dentro da noite
E retorna pouso-cópula.

(Não está bem,
Esse ciclo
Inevitável de ressurreições
Imagéticas.)

Do mineral
Reino do qual se engendram
As coisas-coisas
Quase nada me serve:

Mas ocorreu de ver seu corpo
Um cântaro todo face interna
Que me recebe, banho de caulim.

Nunca estará bem: as metáforas
Estão sempre por fora,
Quais cromos colados sobre
Fundo mistério.Ou roupa.

Teu corpo repele substituição.
Ou representação.


Anselm Kiefer, da série Women of Antiquity, 2004.
 


6 comentários:

Tania regina Contreiras disse...


O poeta Marcantonio é muito mais mental do que emocional. Mais para filosófico do que para lírico. No entanto, todos os poemas que já exaltando o feminino são sedutores demais...rs Canceriano, água, há um mar turbulento por dentro. Eu que acho, claro...rs O poema é maravilhoso. E sedutor. Acho que a inteligência dá a dose certa.
Esse corpo impossível de ser representado...é a essência do poema. Adorei.


Beijos, Marquinhos

Sílc disse...

Alazã... Poesia de encontro com o corpo. Obrigada.
Sílvia

Verso Aberto disse...

ô xará

cê tá detonando, heim

e a Tânia também rsrs

abs aos dois

Rejane Martins disse...

Teu poema é lírico, lindo e avassalador, quais cromos sobrevoando sombra, assombro em banho de caulim, e levitante como um adágio de Corelli.
http://youtu.be/7o6gRHY9wx4
Critérios de ética e beleza apoiam a noção de medida, tão importante quanto espelho e fita métrica. Diversidade de produção lírica e artística em novos espaços emocionais - é o que parece que você faz - e o que seria o enlevo poético e o metafórico senão isso.
http://youtu.be/jKZcsWf740E

cirandeira disse...

E quanto mais fizermos abstrações mais metáforas criaremos, mais nos distanciaremos do real.

beijo, Marcantonio

Cris de Souza disse...

V de verve!
Admirável a tua voz...

Beijo, Mago*