Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

AQUÉM

Na cachola
dois olhos
ambiciosos,
postos de observação
de embarcações aerostáticas
e monumentalidades
que não podem ser hospedadas
na cachola pequena.

A cachola frustrada
lateja:
orgão inflamado.






















Rauol Hausmann,
Cabeça Mecânica (O Espírito dos nossos Tempos), 1920.
Musée National d’Art Moderne, Centre Georges Pompidou, Paris.

7 comentários:

Batom e poesias disse...

Nenhuma aspirina resolve...

Estou adorando isso aqui.
bjs

Rossana

Assis Freitas disse...

aquém, muito além do outro eu


abraço

Luiza Maciel Nogueira disse...

a cachola há de ser expandida pra alma

beijo

Bípede Falante disse...

Eu gosto muito da palavra cachola. Acho muito justa com a nossa cabeça :)

Gian Le Fou disse...

É muita coisa, muita coisa boa...

Ótimo blog! =)

Cris de Souza disse...

na cachola rola de tudo...

betina moraes disse...

cachola é a "caixa da bola".

bola=cerébro,

então, teu poema caixa da bola é ótimo!