Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

[PARA LUCAS, MEU FILHO]

Meu pequeno cavalheiro
de olhos postos
no horizonte pontilhado
chamando o dia para junto de si...
Se eu pudesse renascer,
gostaria de ser como você!

Mas, espere...
De algum modo,
nos seus desejos espontâneos
já renasci.

7 comentários:

Bípede Falante disse...

No livro em que estou lendo, o Mia Couto diz que nossos filhos são a nossa última vida!
E são, não são? :)
bjs

Tania regina Contreiras disse...

Que coisa bonita, Marquinho! Belo poema!
Abraços,

Lua Nova disse...

De algum modo...

Visitei os seus últimos posts e decidi não perder mais nada... Virei mais amiúde.
Beijokas...

betina moraes disse...

ah! maravilhoso marco!


nos filhos estamos, somos, ficamos...


muito bom!

ju rigoni disse...

Muito lindo, Marco!

Bjs e inté!

Domingos Barroso disse...

Dá-me um abraço
meu camarada!

Cris de Souza disse...

Coisa linda...

Lucas deriva de luz, tudo haver!
(Temos um filho com o mesmo nome)