Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

ABECEDÁRIO (i)



“I”, DE IR

Confesso: já não me iludo
que a palavra desviada
de seu leito banal
irá dessedentar aquele sítio
árido da vida.

Aquele sítio que não é cercado
porque cresce, cresce ferida.

Tolice supor que a cal
adensará o muro;
que as folhas farão a árvore
levitar;
que o vinho tornará menos frágil
o cálice.

A sorte arbitrária divide
as sílabas da palavra vida,
e não entendo o fragmento final:
-ida.


Anselm Kiefer, The Book, téc. mista, início da década de 80.

 ,

4 comentários:

Lu Rosário disse...

Adorei os versos e os sentidos que deles parece emanar.

Beijos.

Dalva M. Ferreira disse...

Nem eu, nem eu.

dade amorim disse...

Parece que o fragmento final foge de nossa alçada, Marco.
Abraço grande.

Tania regina Contreiras disse...


Acho que sou obcecada pelo fragmento final.

Beijos,