Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

sábado, 31 de março de 2012

COLEÇÃO PARTICULAR (26)

TOPOLOGIA

Sempre olho
O espaço vazio entre os objetos
Como se esperasse dele alguma desestabilização,
Tremor que derruísse as colunas
De algum templo mental,
Enxurrada que removesse os pilares
De uma ponte imaginária.

A garrafa térmica,
O açucareiro,
A xícara,
O pires e a colher
São resistentes,
E em nenhum momento a toalha branca
Torna-se positiva nuvem
Erguida sobre eles:
Aqui estão absolutamente eles mesmos
Sem mim,
Pedras na Necrópole de Gizé,
Satisfeitos de nada aguardar,
Estoica posição.

E que tolice dizer
Que a xícara espera o açúcar e o café!
Eles não têm fé em mim
Como se fosse eu o seu deus.

Robert Rauschenberg, Card Bird VI, colagem, 1971.

3 comentários:

Lara Amaral disse...

Muito original! A sacada no final foi ótima!

Beijo.

D.Everson disse...

cada vez mais filosófico esse poeta =]

dade amorim disse...

Filosófico mesmo, Marco, uma reflexão em forma de poema.

Abraço amigo.