Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

quarta-feira, 9 de maio de 2012

COLEÇÃO PARTICULAR (32)


ENTRISTECENDO

Saio velando o sentido autônomo
Das ruas
Com meu cortejo lutuoso.
Vou abrindo um túnel mórbido
Com arcos pintados em tinta escura
E impermeável.
E lamento que o sol,
Tão respeitoso,
Tão imparcial ou indiferente,
Não seja solvente.


Edward Hopper, Approaching a City, óleo s/ tela, 1946.

4 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

Sempre perturbadoramente genial! :-)

Bípede Falante disse...

Saio pelas mesmas ruas e faço os mesmos lamentos, e o sol não me dilui nem me seca nem leva.
beijoss

betina moraes disse...

tanto tempo sem vir aqui, mas não sem ir até o seu trabalho, marco.
seu senso estético é superior, tanto nas letras, ao construir o seu ofício de escritor, quanto no seu olhar plástico sobre as coisas.

belo poema!

um beijo.

olara, um castelo de sonhos disse...

Não lamente Poeta, dissolva-o. Beijos no coração!