Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

sábado, 19 de maio de 2012

FACETAS (1)


Que fazer
Com este
Enorme branco
Da memória?

Se o fizer
Passar por um
Prisma
Dividir-se-á
Em
Sete vidas?


Marcantonio

8 comentários:

betina moraes disse...

bela pergunta,

verso em sintonia com o decantar do pensamento.

beijo.

Luiza Maciel Nogueira disse...

sete olhares, sete (adoro esse número)

beijos!

Bípede Falante disse...

Nos meus brancos, não consigo por palavras, mas consigo derramar cores antes que se dividam e se multipliquem e me imponham mais mortes do que tolera a minha vida.
Beijos e bom domingo :)

Raul Motta disse...

branco da memória
espaço propício
ao aqui e agora

.

Abs.!

LauraAlberto disse...

a dispersão da luz, estudada por Newton
a dispersão do ser, pensada por Marcantonio

beijo

Daniela Delias disse...

E a pergunta divide-se, multiplica-se, colore...belo poema, Marcantonio!

Bjo

olara, um castelo de sonhos disse...

Em sete cores. O suficiente para pintar sete vidas, sete sonhos, sete amores, sete flores, sete poesias...Beijos no coração!

Cris de Souza disse...

Vai saber mas tô gostando de ver! Se a primeira faceta já tá dando o que pensar, fico imaginando o que por aí não virá... Ah, sem falar nas fotografias que acompanham as melodias. Resumo da ópera: você é phoda!

Esta observaçãozinha está mais pra asterisco: no azul nada passa em branco.

Beijo, né.