Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

quinta-feira, 14 de abril de 2011

INTERIORES E VIDA SILENCIOSA (V)

6 – interior com estante

Como ex-amigos,
os livros,
com fria
superioridade,
me observam
de sua varanda
ortogonal.

Giuseppe M. Crespi (1665-1747), ost

7 comentários:

Sônia Brandão disse...

Aos livros se pode perdoar essa fria superioridade.

bjs

Luiza Maciel Nogueira disse...

os livros; um universo em si


beijos

Adriana Alves disse...

Os livros têm vida. A cada momento se metarfoseiam e nos parece diferentes a cada nova leitura... mesmo sendo sempre os mesmos. Abraços, Adriana.

Cris de Souza disse...

só uma perguntinha: quando terei teu livro na minha cabeceira?

beijo curioso!

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Genial
como pode...
vc diz exatemante o que eu diria, se tivesse esse tempo de olhar os livros...

sim, às vezes tenho pena deles, às vezes tenho medo
às vezes...bem....
tem dia pra tudo afinal

betina moraes disse...

marco,

ex-amigos e livros, o eterno olhar de superioridade sobre nós. dos primeiros não faço questão de saber o que pensam sobre mim, não ligo para a opinião de ex, seja o ex que for. já a opinião dos livros, meu deus! eu quisera conhecer por exemplo a opinião de um "grande sertão veredas" sobre mim, ou de um "água viva", ou do "o quieto animal da esquina"... o que será que pensam sobre a minha inegável inferioridade intelectual diante deles?

sensacional a sua comparação!


um beijo, filósofo!

Elis Barbosa disse...

Muito à vontade com isso de serem superiores, como se o fato de terem suas histórias escritas até o final determinasse eternidade, qual o que, cá estamos, os leitores, para transforma-los ;O)