Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

quinta-feira, 7 de abril de 2011

QUINZE PAISAGENS COM SOL, QUINZE COM LUA (29)

Uma confusão de escalas:

         os homens

pequeninos na paisagem,
nós que habitamos Liliput,
e em cada cabeça diminuta
o respiro (input/output)
de todo um cosmo
    e seu sumidouro

           na voragem.













Marcantonio

7 comentários:

Fouad Talal disse...

meu velho,

na sua arte, o que me parece é que estamos sendo fagocitados por uma ameba.

perspectiva interessante...

abração!

cirandeira disse...

O que diria Gulliver...!?

beijos

Shirley disse...

...nós pequeninos, porém, inseridos na paisagem cósmica...Micro e macrocosmo. Belo e profundo poema. Beijos!

Sam disse...

escalo nesse "Up"sonoro
e colho o altr nas mãos
dos distúrbios distantes
da minha visão
que, nesses dias minúsculos
ainda querem alçar voo.

Fantástico.
Meu beijo.

betina moraes disse...

é bem o viajante de si e suas conclusões afastadas do eu para serem postas no coletivo.


o arquipélago na imensidão ou a célula na vastidão do corpo, tudo é o mesmo mundo....

belo, marco.

um beijo.

Chorik disse...

Essa rima foi bárbara.

Walkyria Rennó Suleiman disse...

e antes tarde do que nunca ou que talvez, ou na pressa das horas, enfim

te linkei no céuAberto