Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

TEMPO DE EXPOSIÇÃO (66)

ROMANCE

Eu escrevo cartas de amor à vida.
São como capítulos saltados
De um romance epistolar
Onde faço a figura de um sedutor
E assino: “Eternamente teu”.

Mas não estou seguro,
Ela jamais me respondeu.

Uso um artifício de imaginação:
Aplaco o orgulho ferido
De não ver correspondido
Este amor incondicional,
Supondo o extravio das respostas,
Enquanto lhe remeto, sentimental,
Novos testemunhos de paixão,
Ocultando nas entrelinhas
O medo do rompimento unilateral.


Tina Modoti,  Julio Antonio Mella's Typewriter, 1928

13 comentários:

Sônia Brandão disse...

Ela sempre responde; mas é tão clara a sua resposta que os olhos se tornam cegos e não a percebem.

bj

Luiza Maciel Nogueira disse...

Se responde eu não sei, mas que é possível inventar algumas respostas, acho que é :) beijo menino

cirandeira disse...

Postei um comentário ainda há pouco
e não saiu, mas vou repetí-lo:
Essa foi a carta mais linda que já
lí nessa minha curta longa vida sem
respostas!
E pretendo, com a tua permissão,
republicá-la em meu blog. Posso?

um beijo

Jaci Rocha disse...

Que belo romance! ;)

Marcantonio disse...

Ô Cirandeira, pode sim, claro. E fico feliz com essa sua impressão, que bom. Obrigado.

Beijo.

Rebeca dos Anjos disse...

As letras nos fazem mais vulneráveis, mas eternizam (engraçado que não há vulnerabilidade no eterno).

Isto, com ou sem resposta.

Lindo, lindo, viu?

Beijo.

Tatiana Moreira disse...

Expressões de amor são sempre tocantes... A falta de respostas é que fazem doer a alma!
Seu poema é rico e belíssimo!
Um abraço carinhoso

Celso Mendes disse...

é o que devem fazer os apaixonados pela vida. até que a morte os separe.

abraço!

Joelma Bittencourt disse...

Suspiro!

Beijinho, poeta artista!

Andrea de Godoy Neto disse...

Marco, mas há amores que são assim, prescindem de correspondência

embora a vida seja de se dar inteira...

belíssimo este caso de amor.

beijo

dade amorim disse...

Ela responde, sim, mas não chega pelo correio.

Beijo beijo.

LauraAlberto disse...

o teu texto confirma a minha impressão, a mimha desilusão: esta vida é mesmo uma ingrata

abraço

Laura Alberto

Cris de Souza disse...

enquanto houver vida, ainda que de um figa, tá valendo o silêncio.