Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

TEMPO DE EXPOSIÇÃO (73)

EM PARTES

Talvez fosse aquela Babel
Não uma torre
Desafiando o céu,
Mas o movimento íntegro
Dum cosmo paralelo, rival
Do ciumento caos original;
E nela estariam unidos
A percepção,
A ação,
E o nome.

Quiçá desde aquele trauma
Disjuntivo -
Que não seria de nações,
Porém, de indivíduos -
O mundo não gire, mas
Se distorça, feito palavra,
Dentro de cada Homem.


Andreas Feininger, Empire State Building, 1940.

3 comentários:

Ana Ribeiro disse...

Monumental, poeta.

Rosangela Ataide disse...

É isso poeta. O mundo meio que se distorce dentro da gente. E creio que esta distorção nos leve a uma cegueira ao mesmo tempo que nos leva a uma super valorização de nós mesmos. O que não é ruim, mas nem tão bom quanto acreditamos.

Ah, este seu poema é daqueles que se fincam na mente da gente, fazendo pensar e pensar.
Bjs poéticos!

LauraAlberto disse...

a palavra e o significado para cada um...
Abraço
LauraAlberto