Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

A SOLIDÃO NATURAL (sujeito x objeto)

Não há como unir,
pelo interior,
paisagem e janela.




















Van Gogh, O Quarto de Van Gogh - Óleo s/ Tela (1889)

13 comentários:

Luiza Maciel Nogueira disse...

não há

mas VanGogh é mestre na paisagem da alma

beijo

Domingos Barroso disse...

O que nos resta senão
outro interior ainda mais
interior? Grande poeta,
um breve pensamento
que dura uma eternidade
ou um trabalhado lampejo
que permanece precioso.

Forte abraço.

Cris de Souza disse...

eis o x da questão...
(na madrugada se multiplica o caso)

beijo!

Assis Freitas disse...

coisa de raiz, cresce para dentro


abraço

dade amorim disse...

Perfeito, Marcantonio. Sou fã de Van Gogh, e este foi o primeiro quadro dele que me chamou a atenção para sua obra, há décadas. Desde então, passei a pintar e me encantei por esse universo.
Não conhecia este blog, que é ótimo.

Um abração.

dade amorim disse...

Esses são momentos cruciais na vida de uma criança. Sem eles, nada será muito bom em sua vida.

Beijo, querida.

Batom e poesias disse...

Mesmo temporária, foi ótima minha viagem por este azulzinho...
Fazia tempo que não vinha, mas já me coloquei em dia.

Excelente reflexão... Nem se abrir a janela?

bj
Rossana

Lara Amaral disse...

Perfeito!

E com Van Gogh, então... nossa...

Adoro vir aqui sorver um a um seus poemetos, pequenos só fisicamente.

Beijinho.

Adriana Karnal disse...

Marco,
q lindo...eu adoro esse quarto, tenho até um poema sobre ele...o seu eu adorei.

Sílc disse...

Não há como. Lindo! Emociona. Me faz lembrar Mário Quintana que em todos seus textos tem na matiz a solidão. Sim, não há como unir... a não ser... Abrir a janela para perceber o que pode vir.Parabéns Marcantonio.
Com carinho e admiração,
Sílvia

betina moraes disse...

não há!

perfeito, marco!

aeronauta disse...

Que achado, Marcantonio!

Kenia Cris disse...

façamo-nos então casa sem paredes.

Beijoca!