Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

TEMPO DE EXPOSIÇÃO (10)

FIADOR

Ó sol,
Socorre-me
Nesta insolvência,
Salda em parcelas,
A perder de vista,
A minha dívida com a noite.


Edward Steichen, (1879-1973), The Flatiron, 1904.


























Mais de Steichen AQUI e AQUI

7 comentários:

Cris de Souza disse...

um comentário antigo que parece atual: aceita cartão descrédito?

"beijonocê*

Cris de Souza disse...

(num é que esqueci do gelo azul)

Bípede Falante disse...

Sei lá o porquê, mas li Fiodor como o velho Dostoievski se chamava e, então, se o seu poema não era ácido, se transformou. Se bem que acho que já era porque da sua saliva às vezes escorre doses cruéis de palavras líquidas.
beijosss

Domingos Barroso disse...

Às vezes os vampiros
sentem-se culpados
pela eternidade
...

Forte abraço,
camarada.

Chorik disse...

Poeta, não me fale da insolvência, que minha liquidez está empedrada!

Wilson Torres Nanini disse...

Ah, meu caro, a noite te habita - embora, azul e temporária.

Abraços!

Fred Caju disse...

É por essas e outras que sempre ando com o sol na carteira.