Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

TEMPO DE EXPOSIÇÃO (4)


CONTATO

Tenho os dedos
Presos ao teu corpo
Por milhares
De capilares
Elásticos:
Continuo a te tocar
Mesmo quando,
Por dever,
Afasto-me.

Edward Weston, Nu, 1945

6 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

Marquinho, você é supreendente. E eu ando com receio da minha franqueza cheia de estardalhaços, porque quando gosto alardeio mesmo, nem sempre sou entendida. Descobri alguns execelentes poetas na blogosfera, que compensam o meu excesso de lucidez muitas vezes e traduzem (como não me tem sido posssível ainda) com nitidez a minha alma delirante. Desde a primeira vez que te li, comecei a me reconciliar com a Tânia delirante e a trazer de volta a poesia para a minha vida cotidiana. Penso que o mundo passa por uma crise de originalidade. Como uma quase arteterapeuta, compreendo que "ser original" é caminho evolutivo, é meio de cura e de equilíbrio. É preciso delirar pra ser lúcido. É preciso enlouquecer para recobrar os sentidos. Tua poesia me arrebata. Deliro quando te leio. Meu chão legítimo, do qual me afastei por razões diversas e por tanto tempo, é o ar, o éter, a dúvida, a incerteza, a fresta que amplia, em vez de estreitar, a visão. Amo a tua poesia. Reconheço que a blogosfera posssibilitou a descoberta de grandes talentos. Os blogues vieram e possibilitaram tudo isso. Mas sinto falta do teu livro. Já gostaria de levá-lo comigo na bolsa, ler, reler, folhear ao acaso e deixar que a poesia me escolha em cada instante. Muito bom te ler, sempre.
Bjos,

Luiza Maciel Nogueira disse...

Marco que bela essa passagem, amei essa poesia de sensibilidade extrema e tão terna ao mesmo tempo. Uma das minhas preferidas.

Beijos

D.Everson disse...

que mulher é essa? hehee

Lalo Arias disse...

É, Marcantonio, como disse a Tânia: tá na hora de pensar no seu livro...
Grande abraço

Vais disse...

Olá, Marcantonio,
com tato, mãos dedos e pêlos,
nos olhos lentes de contato
cílios em movimento, pêlos
E as linhas da imagem a dividir marcar o corpo
viagem delirante :)

abraços

Cris de Souza disse...

Constato que o tal contato é mágico.