Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

TEMPO DE EXPOSIÇÃO (5)


FÍSICA

A palavra,
Que não é matéria,
Deveria sobre a liquidez da vida
Boiar.
No entanto –
Por que mágicas trágicas? –
Adquire sobrenatural densidade
E afunda.

Não sei da tua,
A minha não queria se afogar.
Mas sequer um epitáfio de luxo,
Que recebe maior empuxo,
Eternamente flutuará...

Man Ray, Marcel Proust em seu Leito de Morte, 1922




















Mais de Man Ray AQUI

10 comentários:

fouad talal disse...

sinistro marco!

nesse caso não é falta de "peso" poético...

abração!

Sill Scaroni disse...

Maravilhosa poesia!
Apesar da foto ser triste é de um grande fotógrafo.
Sill

Ana Ribeiro disse...

Vivemos tentando mesmo... sobreviver... As minhas também (pobres palavrinhas) não bóiam, inevitavelmente afundam e não faço para elas, nem mesmo um epitáfio, na tentativa de que sejam lembradas, pelo menos, por mais algum tempo. Deixo que vão...

Vais disse...

Olá, Marcantonio,
gosto da química, átomos ligantes reagindo, transformações, soluções, misturas homogêneas saturadas, combustão, proporções insaturadas heterogêneas, matéria compostos, orgânicos inorgânicos, ah! as moléculas! estados físicos, pastoso plasma, elementos substâncias, reações e reagentes, catalisadores...
funil balão conta-gotas balança pipeta...
mas
tenho um gosto especial pela Física e Matemática, e é pra escrever que me senti arrebatada com esta FÍSICA

a imagem dos mortos sempre é chocante, por mais que a inércia definitiva do corpo aparente paz

abraço pra você

Mima disse...

Se afunda, boas notícias tenho: afundou e se perdeu dentro de mim.

Digo boas, porque para mim é bom ver a poesia descendo lentamente pela liquidez de minha vida, descendo, descendo e descansando em algum lugar dentro de mim.

(Vou voltar por aqui...)

Abraços,

Mima.

dade amorim disse...

Palavra não é matéria mas deriva dela, deve ser isso. E epitáfio, de luxo ou não, acompanha seu amo.
Já foto pode durar bem mais.

Evandro L. Mezadri disse...

Muito bom, poesia bem escrita, foto dando um clima, perfeito!
Grande abraço e sucesso!

Cris de Souza disse...

Vê se pode!

Tem certos poemas que levantam até defunto...

cirandeira disse...

Não sei da materialidade ou não da matéria, sei, isso sim, do silêncio
que cada vez cala mais profundo dentro de mim quando te leio!

um beijo

cirandeira disse...

Ops! Quis dizer materialidade ou não da PALAVRA, que a matéria se esvai e se transforma...!?

bj