Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

sábado, 24 de setembro de 2011

TEMPO DE EXPOSIÇÃO (22)

SUPORTE

Não me diga
Que o que procuro
Não existe...
Aquele invisível muro
Com epitáfios
Onde haja espaço
Para eu fazer um grafite.


Harry Callahan,  1952.

7 comentários:

Ana Ribeiro disse...

Podes ver o muro... e o grafite?

Celso Mendes disse...

Em algum lugar sempre existirá o que se procura. Enquanto não acha, o poeta desenha com palavras.

abraço!

Leonardo B. disse...

[apenas a um passo da luz, a um passo da palavra cravada, azul horizonte]

um abraço, Marcantonio

Leonardo B.

Bípede Falante disse...

Deixem dizer. Mas não acredite!!
beijoss

Mariana disse...

Aquele invisível muro
Com grafites
Onde haja espaço
Para eu fazer epitáfios
Do que não mais existe.

Cris de Souza disse...

Isso é um grafiteiro de primeira...

Nilson disse...

Grafite transcendental??