Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

TEMPO DE EXPOSIÇÃO (51)

ABSTRAÇÃO AÉREA

Não é exatamente a capacidade de voar
Que amas nos pássaros, imagino.
Porque há vôos ferozes que temes;
Por exemplo, dos insetos, dos morcegos,
Dos agressivos sentimentos.

Um denominador comum de direção
Abstraído a todos os seres voadores
É o que, de fato, amas: o distanciamento.


Tina Modoti, Fios Telefônicos, 1925

12 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

Marquinho, dito assim me parece tão óbvio, mesmo que o voo pareça, em si, o objetivo...sim: ficar longe, essa é a grande "viagem"! Um belo saque...
Beijos,

Fred Caju disse...

Raízes, pra que te quero?

dade amorim disse...

Uma das necessidades que nos assolam de vez em quando.

Beijo, Marco.

Analuz disse...

talvez a admiração no voo de pássaros exista por conta do desejo de ser invejado ou admirado...rs... coisa de humano vaidoso!

Beijinho com admiração, poeta artista!

Chorik disse...

Matou a pau. De novo. E eu não voo porque tenho medo de altura. E não confio em minhas asas. Nunca confiei.

Noslen ed azuos disse...

tudo bonito! e a foto melancólica de tanta comunicação.

ns

D.Everson disse...

GRANDE GRANDE POETA =]]]
NO MAIS EU APRENDI A VOAR AO CONTRARIO: EU QUERO ESTÁ SEMPRE ME APROXIMANDO =]

cirandeira disse...

Amo os voos de distanciamento. Necessito deles tanto quanto dos
voos ferozes para equilibrar-me
durante a viagem...!?

um beijo

Vais disse...

Olá, Marcantonio,
imaginação mais-que-perfeita
frações, rosa-dos-ventos, do mínimo múltiplo comum se chega ao denominador comum e a distância
um abraço

Cris de Souza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cris de Souza disse...

já sabia disso, ainda que não tivesse pensado.

obrigada por me lembrar, tá!

LauraAlberto disse...

e eu sei que um dia vou voar, sem ser Ícaro!
abraço
LauraAlberto