Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

TEMPO DE EXPOSIÇÃO (56)

INÉDITO

Eu te vi calada na fila do cinema.
Não tinhas a alegria dos demais.
Pareceu-me que cansada buscavas
Lapsos de luz numa sala escurecida
Em que não se estivesse reprisando
A projeção rápida da tua vida vazia
A vinte e quatro quadros por dia.


Garry Winogrand, Sem título, 1960.

5 comentários:

Leonardo B. disse...

[recolhida na palavra,

a melancolia da imagem, luz que não é dia; alheia letra de luz]

um abraço, Marcantonio

Leonardo B.

Tania regina Contreiras disse...

(Reflexiva...)

É sempre assim, o que dizes.....................continua!

Beijos,

fouad talal disse...

mano,

há um drama. um bom gênero, talvez.
a questão é que não somos bons atores, nosso diretor parece ser um sádico e não podemos/sabemos nos enquadrar nesse filme chamado vida.

abraço!

Cris de Souza disse...

Inclassificável!

É o tipo de película que permanece em cartaz, não que deveria...

Bípede Falante disse...

Murcha, a Rosa púrpura do Cairo, diante da sua película!
beijosss