Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

quinta-feira, 23 de junho de 2011

PROVAS DO ARTISTA (15)

ACORDE*

No dia dos meus anos
não havia céu nublado,
E tive a sensação de que os pássaros
Cantavam para mim.

Era manhã inédita
Em que não me perguntava

Por que?
Para quê?
Por quanto tempo?

O canto daqueles pássaros
Me sagrava pássaro
Enfim.


*(Este poema é dedicado à Cris de Souza e aos poetas amigos que ela reuniu em uma homenagem  que me emocionou profundamente. Foi um dia de aniversário com sensações inéditas, surpresa de me perceber querido além da conta. Não há palavras ou poema que possa agradecer por isso, e este é apenas uma tentativa aquém no intuito de fazê-lo. Aproveito para agradecer a todos que me enviaram mensagens de felicitações!)

Trem da Lira, Sarau Festivo.
http://tremdalira.blogspot.com/2011/06/sarau-festivo.html


Escher, Regular Divisão de Plano com Pássaros, xilogravura



















Website oficial de Escher: AQUI

12 comentários:

Marcantonio disse...

Transcrevo aqui o comentário que deixei no blog da Cris:

"Estou num esforço patético de comentar aqui, já tentei três vezes. Parece o comentário mais difícil de fazer e não deveria ser. Justo quando chega a hora de retribuir as palavras que me homenageiam eu fico mudo? Constrangido e sem habilidade?

Eu fiquei pasmo outra vez: como pode a poesia, essa que faço em solidão, provocar essa reunião, esse albergue de carinho? E eu não posso evitar de emocionado dizer que isso reforça uma esperança minha, secreta, de que a poesia não seja mais do que um adorno para algo mais importante que venha da interação humana, da empatia, da generosidade, da bondade, do desprendimento.

A minha tentação era fugir, sentimento estranho que quem supõe que será pego mais cedo ou mais tarde como um farsante, como a pessoa errada que está ali na hora certa, tipo de anti-herói tomado como herói por acaso. Mas eu não poderia fazer isso. Encara, Marco!

Eu nunca recebi um presente desse tipo, e jamais tive um aniversário com tal amplitude de carinho e incentivo. E só não me sinto mais endividado porque sei sinceramente que devolveria tudo, tim-tim por tim-tim, de admiração, carinho e respeito por todos que se reuniram aqui. É inesquecível.

E essa moça dona desse blog, tão querida, toda ela generosidade, humanidade e talento, orquestrando essas vozes tão distintas, todas admiráveis! E que esforço não deve ter custado isso! Cris, obrigado por todo esse carinho, essa tão bonita e surpreendente homenagem. Coisa pra lembrar sempre. Um beijo!

E um abraço verdadeiro e agradecido a todos!"

Mariana disse...

Prezado Marcos: parabéns (um pouco atrasado pelo seu aniversário, e pelo carinho recebido dos amigos.

Linda a imagem do poema, sagrar-se pássaro.

Quanto à imagem que você toma, fiquei maravilhada com a exposição do Escher, consegui mesmo o catálogo ricamente ilustrado do CCBB, mas até agora não consegui falar dela, tão estranhos os pássaros e voos deste artista.

Mas, voltando, parabéns!

Abraço.

Renata de Aragão Lopes disse...

Que surpresa encantadora, Marcantônio!

Felicidades pra você!

Abraço,
Doce de Lira

Sam disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sam disse...

Que nesse dia
a minha vinda não tenha sido tardia
que a alegria nessa quente e terna tarde
seja mais que um cantarolar lá longe
passarinho fazendo poema
aos meus ouvidos
me contando
e me cantando
que Marco Antônio é tão querido
e sempre bem vindo
nesse coração meu.

Meu carinho, querido.
Beijo na alma.
Samara Bassi

Quantas saudades daqui, de ti... dos versos.

Cris de Souza disse...

óh, dom poeta!

andorinha nas asas levará teu canto brilhante e tanto.
(para o sarau, etecetera e tal)

um beijo agradecido, sangue azul.

Lara Amaral disse...

Lindo poema, Marco! E participei da sua homenagem porque achei que vc realmente merecia. =)

Beijo!

Batom e poesias disse...

Que lindo!
A poesia voou por você....

bj
Rossana

betina moraes disse...

marco,

que belo poema! muito bonito!

obrigada por nos dar a chance de exercitar os pássaros.


sua poesia nos dá inspiração.

um beijo e mais uma vez, felicidades!

Wilden Barreiro disse...

ando meio preguiçoso pra postar, pra escrever, engolido inteiro por tarefas nada agradáveis.
daí que foi muito bom participar do sarau da Cris pra você.
não me vejo pássaro, quando ave sou galinha, avestruz, xícara... essas coisas que têm asa de não voar.

abraço

Bípede Falante disse...

Marcantonio, você é uma daquelas criaturas que nasce de cem em cem anos. Você nos enche de vida com a sua poesia. Você nos surpreende, provoca, mobiliza.
Beijos :)
BF

Tania regina Contreiras disse...

Amei o poema: sagrado pássaro, que sempre foi e será...

Abraços,

O canto daqueles pássaros
Me sagrava pássaro
Enfim.