Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

quinta-feira, 16 de junho de 2011

PROVAS DO ARTISTA (9)

TRANSVERSAL

O meu reflexo pálido,
de ser estacionado,
foge
no vidro daquele carro,
e desse carro,
e deste carro, e deste, e deste, deste, deste...

James Rosenquist, Minha Mente é um Copo D'água
litografia a cores, 1973
.

























Mais sobre James Rosenquist: AQUI

4 comentários:

Lara Amaral disse...

Lembrei das gotículas depois da chuva, que passam do para-brisa para a fresta, para o ar.

Mariana disse...

Eu vislumbrei o oposto: apesar de em movimento, o carro é o estacionado, pois seu movimento depende de outrem, enquanto aquele que se mira no seu vidro está em movimento, embora não aparente: o próprio notar do reflexo em fuga nos carros que passam é estar em movimento.

Bem, é apenas a modesta opinião de uma contida que gostaria de se conter mais, mas que percebe o movimento e o equaciona com a vida: carros são movimentados; homens escrevem poemas (belíssimo movimento) sobre carros que devolvem-lhes, em momentos fugidios, o reflexo da face, e por isso o poema (a escrita) torna-se movimento inevitável.

Abraço.

Mariana disse...

Em tempo: a imagem não poderia ser mais bonita, pelo seu poder sugestivo de tantos reflexos, e por esses tons de azul, tão belos.

Bípede Falante disse...

Haja frota :)