Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

sexta-feira, 22 de julho de 2011

PROVAS DO ARTISTA (33)

BESTIÁRIO

Será apenas
Busca mítica
Esta ânsia neológica
Por uma palavra
Paleolítica?

Gilvan Samico, O Sagrado, xilogravura, 1997


















Mais sobre Gilvan Samico: Aqui

12 comentários:

Eurico disse...

Puxa, me deu saudade.
Faz uns anos fui a uma exposição da obra do Gilvan.
Perfeitas, as xilos desse mestre!

A ânsia pela palavra original, pela ursprache, é algo que devemos ter herdado do nomeador edênico, o Adam. rsrsrs

Persigo essa também essa protopoesia, e isso me move.


Abraço, Poeta.
Não me canso de ad-mirar aquela Charque.hehe

Ana Ribeiro disse...

Busca eterna incansável... Talvez a própria busca seja ela.

Sam disse...

Será apenas
um amontoado de teses e teologias
filosofias
neologismos
inertes
nesse vão inacabado de ser?

Meu carinho, marco.
Saudades eu estava daqui.
Samara Bassi.

cirandeira disse...

Apesar das aparências, não seria o sagrado em busca do que é profano?
Essa busca é quase que atávica, nossos sentimentos são tão arcaicos...! Ainda estamos engatinhando em nossas escavações, o terreno é profundo, cheio de sulcos e labirintos, e nem sampre
temos um fio pra nos guiar até a saída...!?

beijoss

Mariana disse...

Já ia lendo busca mística em vez de mítica... desconsiderei completamente o título nessa sobreposição dos vocábulos. E, afinal, uma palavra paleolítica seria anterior à Babel, uma palavra impossível.

Abraço.

Assis Freitas disse...

a palavra hieróglifo: sagrada escrita


abraço

Evanir disse...

A esperança e a alegria de viver esta
nos atos de amor que praticamos.
Quero viajar todos os dias semeando
a paz no coração dos amigos (as)ser
apreciada por minha presença.
Quero jogar flores por onde
eu passar.
E em silêncio deixar a palavra
mais bonita.
(Creia em Deus porque viver é fantástico.)
Um beijo na alma e no coração com carinho,,Evanir,

Cris de Souza disse...

desde os primórdios o poeta lasca a palavra, né. tô desconfiando que seja um homo sapiens...

beijo, criatura barbada.

Fred Caju disse...

Essa busca não tem um fim que não seja o próprio ato de buscar. E fazia tempo que não me encantava com o Samico! Abraços.

Oswaldo C. Paes disse...

Hmmm gostei do blog =]

Lua Nova disse...

Pelo que, não importa realmente... o que interessa é a busca.
É ela que nos mantém atentos, é ela que nos mantém abertos, é ela que nos justifica.

Li um comentário seu no blog do Eurico e, pra variar, fiquei encantada. Autodidata cuja alma remonta o começo dos tempos. Só isso explica tanta sabedoria e a capacidade de traduzi-la em palavras tão belas e certeiras.

Saudades de vc.
Beijokas.

Marcelo Henrique Marques de Souza disse...

O novo realmente só nasce a partir do velho.. poema dos mais apropriados para o tempo atual, que só busca o paleolítico para anestesiá-lo..

Abraço