Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

terça-feira, 3 de maio de 2011

INTERIORES E VIDA SILENCIOSA (XXI)

23 – interior com marinha

Sob um peso de papel
a folha branca
não se conforma:
o vento vindo da janela
insufla nela ímpetos
de velame de barco,
e num poema não-escrito,
por espasmos, ela voga.

Edward Hopper, Rooms by the Sea, óleo

5 comentários:

Suzana Martins disse...

Sobre a folha de papel as velas insinuam um barco que caminha livre ao vento...

lindo...

beijos

Sam disse...

a folha branca
talvez seja eu
rabiscando alguns
ecos das inquietudes velejantes
com um pincel traçando riscos
rabiscos de sol,
aquele mesmo que entrou pela fresta da janela
e deitou no meu olhar
brando de estar
branco de nada querer ser
e ainda assim, permacer.

Meu carinho, amigo
Samara Bassi

Cris de Souza disse...

vogais por nós, os pescadores!

Mai disse...

Não se conforma porque é mar, é oceano - nada contém.

E esta sua série é bárbara!


Eu adoro fazer isto: entrar no universo pictórico. São modos de ver e transmutar - transmutar-se...


beijos

dade amorim disse...

Demais, Marco. Lembrei do meu Geometrias - os objetos são como os poemas.

Beijo beijo.