Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

ROSTOS - MODOS DE CRIAR RETRATOS (20)

Tens uma estranha forma
De evasão.
Não há ocasião de te vermos
Face a face.
Tu estás sempre de costas
Para o agora,

Rosto-retrospecto.
Rosto de outra hora.

Magritte, Retrato de Edward James, OST, 1933

11 comentários:

Leonardo B. disse...

[e poderão caber tantos os retratos quantas as ilusões da palavra]

um imenso abraço, Marcantonio

Leonardo B.

nydia bonetti disse...

às vezes me sinto a própria
(face de outro tempo)

Esta série é mesmo incrível, Marco. beijos.

Í.ta** disse...

um enigma.

gostei!

abraços.

betina moraes disse...

rosto que se perde...

a série pede um livro!


um beijo.

S. disse...

lindo. como sempre.
a série pede um livro!(2)
beijinhos

Fouad Talal disse...

uma outra possibilidade de título:

Síndrome de Rubens Barrichello

rs
abração Marco!

Batom e poesias disse...

Face que olha outros tempos?

Muito interessante essa série.
Bj

Rossana

Assis Freitas disse...

eu acabei de sair do blog da Nina e lá tinha uma coisa do Rosa dizendo "como quem não tem frente, como quem só tem costas", aí eu chego aqui e encontro o poema e Magritte. esse mundo é cheio mesmo de assombração,


abraço mestre

Tania regina Contreiras disse...

Assis, a tal da sincronicidade parece unir os blogueiros...Tocamos no mesmo ponto muitas vezes sem combinar.
E, Marquinho, faço coro com o pessoal, essa série está simplesmente demais. A série pede um livro (3).
Beijos,

Ph disse...

Sem dúvida uma forma de apego ao passado.
Abraço

Cris de Souza disse...

nem estranho os perdidos...

como diria mamãe: “ quem vive de passado é museu. “