Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

ROSTOS - MODOS DE CRIAR RETRATOS (38)

As maçãs do seu rosto
Perdem o viço dia a dia.

A polpa se retrai,
Se desidrata.
A casca já não tem mais
Aquele suave rubor
E a rápida adaptação
De tecido elástico.

Já não provocam tentação
As maçãs do seu rosto,

E se conformam dia a dia
Em ser simplesmente
Ossos zigomáticos.

4 comentários:

Luiza Maciel Nogueira disse...

é uma pêra
que fomenta a amarelidão
da face pálida
em contrapartida
quando envergonhas
são duas amoras
na bochecha
dois rubis
no olhar

inspirado em teus retratos, fiz um mix aqui - hum me deu vontade de umas frutas - rsrs

beijos

S. disse...

sei n... sempre imaginei como o fruto proibido algo com muito mais sumo.*

*Este comentário é um oferecimento das bobagens nada a ver de S.

Xero!!!

Suzana Martins disse...

Os rostos se contraem e distraem em momentos que só o coração pode pulsar em cores...

Beijos

D.Everson disse...

que poeminha forte meu caro hehhehee
logo eu que estou envelhecendo ao contrário ler um desses....
no mais esse poema só diz a verdade que ninguém quer ouvir: vamos todos envelhecer.