Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

domingo, 13 de março de 2011

QUINZE PAISAGENS COM SOL, QUINZE COM LUA (9)

Vejo nuvens
contornadas
por um roxo
enigmático.

São bordas adesivas
que as atracam
como continentes
cartografados
sobre a atmosfera
aquarelada.

Estranho aquela
que contém
(ou encarna)
um hipopótamo:
pesado bicho
para se tornar aéreo!

Pensando bem,
há uma trilha natural
entre potamós
e metéoros.


10 comentários:

Sam disse...

meus olhos são duas esferas
duas fábulas
inventando personagens
e paisagens de algodão que,
se fosse doce
preferiria o amarelo
de açucarado por do sol
pra depois
roubar um travesseiro no céu
fecundar o sonho
e acordar.

Abraços, flores e estrelas...

Suzana Martins disse...

Há uma passagem nas nuvens que pintam letras num céu de estrela, lua e sol!

Beijos

Adriana Karnal disse...

Marcantonio,
o artista vê poesia em tudo...o céu éleve como um hipo~pótamo nas nuvens...lindo, amigo.

Por que você faz poema? disse...

Salve o dia da poesia!

Bípede Falante disse...

Salve o dia em que os hipos tomaram o céu e fizeram dele suas nuvens e choveram de lá poetas e poesias!
Eu AMEI essa nuvem. Aquela nuvem de hipopótamo que passa lá em cima sou eu ou o meu desejo ou a minha essência! Haja eu :)ahahaha
beijos

Tania regina Contreiras disse...

Dia nacional da poesia, não dá pra deixar de passar para dizer OBRIGADA ao Poeta querido, inquietador...rs..e que vê hipopótamo no céu (maravilha!).
Obrigada, Marquinho, belos novos ângulos, pela inquietude, por ter contribuído sobremodo para a volta da poesia à minha vida!
Viva a poesia!
Beijos,

cirandeira disse...

Consegues misturar tão bem a poesia
com a pintura que até um hipopótamo
flutua!!!!!

beijo

Luiza Maciel Nogueira disse...

adoro essas tuas viagens...beijo

Assis Freitas disse...

rapaz, gostei dessa nuvem hipopótamo,


abraço

Cris de Souza disse...

isso que eu chamo de poema de peso...