Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

sexta-feira, 4 de março de 2011

QUINZE PAISAGENS COM SOL, QUINZE COM LUA (PREÂMBULO)

O homem caminha
na paisagem
dentro e fora
da linha.

Esfrega nos olhos
os nomes que inventam o que ele vê.

Ele diz:
           Árvore!
           Campo!
           Animal!
           Rio!
           Sol!
           Céu!

           Se eu
           Sinto:

                    Eis a paisagem!

7 comentários:

Suzana Martins disse...

Paisagens nossas, paisagens que criamos, que inventamos e que sentimos...

Beijos

Lou Vilela disse...

O preâmbulo sinaliza mais uma fase instigante.

A série "rostos" deixará saudades. Do começo ao fim, poemas de extremo bom gosto e qualidade.

Um abraço

Sam disse...

o homem é um pingo rastejante
nesse vento estonteante
que desliza por entre a tez inquieta
do sol e da lua.
é partida sem ida, é volta sem partida
nessas andanças próprias
de denntro da pele.

Este seu azul me cativou.

Abraços, flores e estrelas...

Domingos Barroso disse...

A tua genialidade é assustadoramente
de uma lucidez estonteante
...


(agradeço por tua
inesgotável verve)

Carpe Diem!

betina moraes disse...

marco,

pela apresentação já sentimos que virá uma série com a sua mais preciosa qualidade: a observação!

um beijo.

Luiza Maciel Nogueira disse...

estou na adorar essa série nova - principalmente porque agora o sentido da arte está explícito em sua poesia de um modo muito íntimo. Que presença Marco!

Beijos

Cris de Souza disse...

ela diz: eis a viagem!