Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

PROVAS DO ARTISTA (41)

UNO OU MÚLTIPLO

Em geral almejo um poema vário
Efeito de um prisma primordial
Pelo qual passe o sentido totalitário
E pérfido do universo,
Vazando doutro lado um ser plural.

Mas para te ofertar no transe da dor
Quero algo diferente, unitário;
Forma fechada
E contraída de fusão dos contrários,
Elipse continente
De toda chuva, todo rio, todo oceano
Aparente;
Lágrima ímpar de esperança inundada
Junto ao teu peito, escapulário,
Pingente.

Miró, Composição, litografia a cores  (daqui)

5 comentários:

Cris de Souza disse...

Este é um senhor poema - uno como vossa excelência!

Beijo múltiplo.

Cris de Souza disse...

ah, esse miró tem algo de lúdico que me intriga.

Leonardo B. disse...

[palavra a prova do elemento, unidade semelhante, o seu contrário]

um imenso abraço, Marcantonio

Leonardo B.

Thiago Quintella de Mattos disse...

Gostei dessa: "Pelo qual passe o sentido totalitário
E pérfido do universo." Tenho a impressão que já tinha lido isso aqui... não, acho que não.

José Carlos Brandão disse...

Este é um poema vário.