Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

PROVAS DO ARTISTA (56) - FINAL


UVAS

Bonita palavra é ‘doravante’!
Não importa que não preveja
A extensão da vida e o acaso,
Posto que todo avante termine
E tenha prazo,
E haja um muro lá na frente
Que não contornarei.
E daí que não o ultrapasso?!
Os meus passos irão se entender
Com estes sapatos concretos,
Tão ignorantes de futuros caminhos,
De retas, de curvas, de geometrias!
E há este jornal do dia
Lido como renovável pergaminho;
E há este copo de vinho
Meio esvaziado;
E há roupas por despir de um vestuário.
E carros passam lá fora
Com itinerários cifrados.
E você chega agora, os longos cabelos
Molhados da tarde de chuva,
E se queixa dos preços do mercado.
E se põe a lavar uns cachos de uvas,
Verdes uvas.
E amo a sua silhueta contra o basculante
Da cozinha, paz tão minha!
Que importa doravante
Senão as uvas
Tiradas uma a uma ao cacho,
Cuspidos os caroços
Com langor e charme
Enquanto nossos ossos
Ainda estão por baixo
Da carne?

Picasso, Escultor e Modelo, água-forte

7 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

Chato ficar dizendo isso, né...mas te ler é perigoso, eu saio a procurar sem querer voltar. Estonteante..........................................................................................................................................................................................................................................

Lalo Arias disse...

FEcho de ouro, meu amigo. Acompanhei cada poema desse seu livro. Vou querer ele inteiro, em papel, com dedicatória e tudo.
Grande abraço.

Ana Ribeiro disse...

Uau!!!

Rita Santana disse...

Belo poema, Marcantonio. Composto de imagens tão corriqueiras, mas que se tornarm poéticas nas suas mãos. Bendito seja o olhar do homem que sabe ver uma mulher. Um beijo, querido! Que o seu doravante seja sempre próspero de poesia e gentileza. Grata pela visita primaveril.

Ana Ribeiro disse...

Por que "final"?

Marcelo Henrique Marques de Souza disse...

Muito bom, Marcantonio.. O mais importante está mesmo nos detalhes. Sempre.

Abraço

Marcelo Henrique Marques de Souza disse...

Já ia me esquecendo:
Aos amigos blogueiros que estejam pelo Rio de Janeiro no dia:

No próximo dia 17 de setembro, vou lançar meu quarto livro, o ensaio "O Poeta, o Canibal e o Espelho". O evento começa às 18 horas e vai até às 21, no Espaço Cultural da editora Multifoco, que fica na rua Mem de Sá, 126, na Lapa. Espero todos lá.

Abraços