Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

APONTAMENTO NA BORDA DO DIA (8)

Um carro de som
passa com seu irritantes anúncios
locais:

recargas de cartuchos;
o pão da padaria do bairro;
a sapataria tal, a papelaria tal:

jingle bells
jingle bells, jingle... Jingles!

Já é outra segunda-feira. Feira!
Já chega outro dezembro. Feira!
E tão rapidamente.

A expressão "lá fora" significa
tudo que não posso afastar
do meu bunker.

6 comentários:

Zélia Guardiano disse...

Perfeitamente, Marcantonio: os anunciantes e seus asseclas...rs...
E que haja segurança máxima, aí, no seu subterrâneo, onde você fica urdindo poemas incrívelmente lindos, como este...
Grande abraço, amigo!

Cris de Souza disse...

uma segunda, de primeira linha...

beijo, meu mago!

Mai disse...

A cada manhã constatamos isto.
Há invasões inevitáveis.

Morei num vilarejo onde haviam esses carros de som. Como poluem...

abraços e boa semana

Luiza Maciel Nogueira disse...

Estava pensando será que me concederia o privilégio de postar uma das tuas obras de arte no versosdeluz? Fico pensando que me traria grande alegria escrever sobre um de seus quadros!

Beijos
Luiza

Marcantonio disse...

Mas, claro, Luiza! Seria um privilégio e uma alegria para mim, isso sim.

Beijo.

Assis Freitas disse...

Feira, não desavidamente moro em uma Feira, cidade por vocação comercial e por tradição de ambulantes, destemperados que tudo vendem e não contentes repetem em voz alto o discurso do produto a quem se oferecer possa, então segunda é sempre de primeira nos meus tímpanos cansados,

abração