Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

terça-feira, 30 de novembro de 2010

CONTÍNUO OU DESCONTÍNUO?

Parece que a poesia
desdobra o ano
em 365 estações.

Ou quer a poesia
um ano
sem estações?

3 comentários:

Mai disse...

A poesia talvez queira o espanto das horas; o incontido, talvez...

abraços

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Ah, as horas, os segundos, as luas....acho que a poesia quer mais estações! Tantas como as da alma "insubmissa"

Zélia Guardiano disse...

Penso que ficam equiparados os pratos da balança...
Lindos versos, que me fazem refletir, Marcoantonio.
Grande abraço!