Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

INEVITÁVEL

A palavra termina revestindo a vida
que eu pretendera desnudar.





















Lucien Freud, Garota com Olhos Fechados, Óleo s/ tela, 1987

4 comentários:

Mai disse...

Então Shhhhh...
façamos silêncio e deixemo-nos, apenas o sentir...

Simples assim, um retrato calado com olhos fechados. Um espanto. Um sonho de verso que diz tudo o que é preciso ser dito.
Perfeito!

cirandeira disse...

Como disse Guimarães Rosa, "o silêncio é a gente mesmo demais"!

Beijo

Bípede Falante disse...

A palavra é mesmo uma pele muito sensível.

Cris de Souza disse...

estou de olhinhos arregalados, inevitável o espanto após essa observação...

(esse quadro é de roubar a cena)