Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

sábado, 4 de dezembro de 2010

APONTAMENTO NA BORDA DO DIA (13)

Cada dia tem seu Atlas
que o sustenta nas costas
curvadas às obrigações.

Cansa demais o realismo.

Hoje, esforço hercúleo,
darei folga a esse atlas
por solidariedade a mim,
e ampararei este sábado
nas minhas fortes ilusões.

Atlas Farnese,
Museo Archeologico Nazionale,
Nápoles

5 comentários:

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

o mundo que sobre nós vai nos tornando peso e leveza da quilo que somos

Mai disse...

Porque manter-se nessa lida insana é alimentar o mito de Sísifo e se for pra ser
si...si...fo...

que sejamos na Arte!

Porque sabe, Marco, pra mim o trabalho do artista é tão braçal em seu esforço, quanto a rigorosa lida dos estivadores.
Não é fácil carregar o peso do que nos 'entranha lá bem fundo'.
esta imatérial-matéria das invenções artísticas e poéticas -
-pesam-nos-aosombros-e-as-cabeças-

beijos

Zélia Guardiano disse...

Verdade, Marcantono: cansa demais o realismo!
Demais!
Demais!
Ando por aqui com ele...
Lindos versos, querido!
Grande abraço

Assis Freitas disse...

ando precisando de mais ombros que suportem o mundo, os meus já não suportam o peso


abraço

Cris de Souza disse...

veríssimo!

só de te ler já me sinto mais leve...