Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

APONTAMENTO NA BORDA DO DIA (36)

Um pássaro
canta,
todo instinto,
piccolo
ou
pífaro
natural,
solista
alheio
à própria beleza
e ao destino
orquestral.

8 comentários:

Luiza Maciel Nogueira disse...

uma orquestra poética de pássaros, que maravilha! beijos!

betina moraes disse...

delicadíssimo.

com um pouco mais de leitura sou capaz de escutar o tal pássaro.

parabéns, você conseguiu um resultado transcendente!

abraço.

Zélia Guardiano disse...

Lindo, Marcantonio!
Puro encantamento...
Grande abraço!

Lara Amaral disse...

Por ser alheio é tão, tão mais bonito!

Beijo.

Dario B. disse...

Solitário bemol ao Sol maior. Forte abraço.

Tania regina Contreiras disse...

E o pássaro nos ensina SER, simplesmente, quanta beleza nisso, Marquinho!
beijos,

Sônia Brandão disse...

E seu poema soa em meus ouvidos como o canto do pássaro.

Feliz 2011!

Cris de Souza disse...

esse é bom de bico...