Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

APONTAMENTO NA BORDA DO DIA (35)

O mistério parece um anti-azul.
Um céu claro é tão uniforme,
sem qualquer reflexo terreno.

O céu cinza é feito um arco
assentado sobre duas colunas
tão ignoradas,
quanto o são o nascimento e a morte
que sustentam o vão da vida.

E não há nenhum mistério
que não esteja fincado na terra.

5 comentários:

Fred Caju disse...

Marcantonio,

Feliz Natal atrasado e feliz 2011 antecipado!

Gostaria de ter mais tempo para me perder/encontrar nas postagens daqui, mas por hora passo 'apenas' para lhe desejar felicidades. Depois volto como leitor faminto.

Abraços,
Caju.

Thiago Quintella de Mattos disse...

Um anti-azul... gostei dessa. No céu, o anti-azul pode ser o cinza, o branco, e as diversas cores que vemos e não vemos!

Cris de Souza disse...

só pra apurar...

" há mais mistérios
entre o céu e a terra
do que sonha
a nossa vã filosofia."

(shakespeare)

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Marcantonio, sempret ive uma cisma como azul, principalmente o da Prússia. Sempre vi mistério que nunca decifrei.

Mas vc tem razão ao dizer que não existe mistério que nào esteja fincado na terra. Existem apenas maus leitores, maus inquilinos.

betina moraes disse...

sentenças de artista!

um poema visual, para aqueles que se dedicarem a ver.

beijo.