Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

domingo, 9 de janeiro de 2011

APONTAMENTO NA BORDA DO DIA (46)

Um dia tão claro-claro
Onde tudo pode olvidar-se
Mergulhado na luz.

Como escrever com luz
Sobre páginas de luz?

Como obter contraste?

Um grito tão claro-claro
Não poderia ser ouvido.

Malevich, Branco sobre Branco (1918)

7 comentários:

isidora disse...

Apenas sentido!!!Nada como se entregar!

Bípede Falante disse...

não se ouve, não se fotografa, mas no arrasa :)

Mai disse...

Um dia branco num azul temporário e haja luz...

estou na área.beijos, Marco.

líria porto disse...

nem olvidado...
besos

Zélia Guardiano disse...

Belíssimo, meu querido Marcantonio!
Belíssimo!
Grande abraço
Zélia

Cris de Souza disse...

o ouvido olvida do óbvio?

D.Everson disse...

poemas profundissímo =]