Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

POWER OFF

Minhas estradas são abertas
no escuro das madrugadas:
prontidão para viver uma odisséia.

Mas, não há para onde retornar.
Ficar não posso.
Acordado, conspiro,
Adormecido, não desapareço.

Lá fora estrelas-sereias
cantam em off
num longa-metragem celeste.

5 comentários:

Olavo disse...

Belíssimo poema...palavras pinceladas num suporte qualquer...coisas que se sentem mas que não se dizem, pela inaptidão natural dos vocábulos...parabens! Se me permitires gostaria de o 'postar' no meu Blog.

Cris de Souza disse...

On da alerta...

Lua Nova disse...

Senti uma certa tristeza lendo, talvez por me identificar demais com as idéias do poema...

"...prontidão para viver uma odisséia..."

...que não acontecerá mais... é o que temo...

Lara Amaral disse...

Nossa, adoro quando fala por mim ;)

Lidi disse...

Acho que você falou por mim também.