Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

ROSTOS - MODOS DE CRIAR RETRATOS (1)*

Estremunhada,
Como se fora consagrada
Anjo da guarda
De uma linha divisória:
A asa destra dentro da noite,
A outra aberta sobre o dia.



* O poema não se refere à figura de Kiki. A escolha do vídeo é apenas uma analogia expressiva.

7 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

Ah, claro que não, o poema traz inúmeras referências. Inevitável, pra mim, falar aqui de beleza, porque contemplei o poema na tela, e o vi belíssimo. Adorei a idéia de uma linha divisória dos anjos da guarda e duas asas adentrando dimensões opostas...é algo belíssimo!
beijos,

betina moraes disse...

marco,


porém... foi uma escolha acertadíssima!

o poema é de uma delicadeza ímpar, parabéns!

beijo.

Domingos Barroso disse...

essas margens que se cruzam
aterrorizam tudo
e no fim
é o alimento
...

forte abraço,
irmão.

Zélia Guardiano disse...

Lindo demais, Marcantonio!
Vem ao encontro do dualismo que tem morado na minha mente, nos últimos dias...
Adorei, amigo, grande poeta!
Abraço

Cris de Souza disse...

vou te contar! sabes inventar moda, fico só admirando...

(não é a toa que és um artista plástico)

Mai disse...

Pareceu-me uma beleza angelical.
Caramba, Marco, pintar com palavras - uma proeza

um beijo

Bípede Falante disse...

Anjo da guarda em cima da linha será um anjo da guarda em cima do muro?
Não sei, não, se eu não empurro esse anjo se o encontro! :)
beijos