Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

domingo, 23 de janeiro de 2011

APONTAMENTO NA BORDA DO DIA (59)

Não nos deixemos adormecer,
quero ouvir nos teus olhos
o memento de todas as estrelas,
até que eles reflitam
o ultimato ciumento
da absoluta estrela diurna
que nos quer separados.

7 comentários:

Zélia Guardiano disse...

Ah, a luz solar, essa malfeitora...
Versos encantadores, Marcantonio!
Abraço, querido.

Domingos Barroso disse...

meu deus,
irmão
...

é profundo demais
é claro demais
queima-se a alma
...

forte abraço,
irmão.

Tania regina Contreiras disse...

Um canto poético, de uma beleza que se insinua sem escancarar-se.

Ah, Marquinho, veja só, sonhei com você me entregando um poema visual, fundo azul (não sei se temporariamente azul) com círculos amarelos em cujos centros estavam símbolos que eu não conhecia. Recebi, abri, arvorei-me em querer decifrar e...acordei! ah...

Esse Axzul aqui mexe profundamente com o meu inconsciente, diriam os entendidos da mente.
Beijos,

Mr.Orange disse...

Meu caro, sabe aquele ditado que diz “Quem ama cuida”? Então, nem sempre é verdade, pois tal afeto pode se tornar uma maré infinda de ciúmes e de possessões (quase demoníacas).Por isso, amemos na dose certa, nem de menos, nem em demasia!
Adorei o blog e adorei os textos!
Quando tiver um tempo, dê uma passada no “Que letra é”, pois ficaria muito honrado pela sua visita. Se gostar, siga-nos!
http://queletra.blogspot.com/
Parabéns pelo trabalho e estou te seguindo!
Atenciosamente. Adriano MB.

Kenia Cris disse...

De certa forma vc me lembrou do antigo filme 'O feitiço de Áquila'. =)

Beleza que pra sentir de olhos fechados esse poema!

Beijo carinhoso! =*

. disse...

Que beleza de poema! Estou encantada... O significado dele caiu como uma luva para mim.

Acabei de divulgá-lo no Twitter. =]

Abraço,
Ane

Tatiana disse...

Não devemos separar o que o coração une.
Tenha uma ótima semana!
Um beijo carinhoso