Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

sábado, 15 de janeiro de 2011

APONTAMENTO NA BORDA DO DIA (52)

Eu pretendia registrar
Uma impressão seminal, inadiável;
A súmula geográfica de um mundo
Desabitado que há dentro de mim,
Uma intuição fabulosa
Finalmente capturada
Refletindo-se num espelho de mão.

Mas, um poema tomou o lugar dessa impressão.
Por mais que o releia,
Ele não me recorda o que eu pretendera dizer.

Só agora percebo que todo poema é desapontamento.

5 comentários:

Leonardo B. disse...

[um interminável recomeço, um constante busca, que lhe sobressai da mão poeta]

um imenso abraço, Marcantonio

Leonardo B.

Í.ta** disse...

é desapontamento. brilhante.

e é fugaz. todo poema.

abração!

Assis Freitas disse...

desapontamento pode ser um apontamento de por vir, um pré texto

abraço

Lou Vilela disse...

Gostaria também de poder registrar as minhas impressões na íntegra - inclusive, as decorrentes desta leitura. Por ora, opto pelo não (des)apontamento. ;)

Abraços

Lara Amaral disse...

Interessante o poema, Marco.
Lembrei-me de que muitas vezes quero escrever sobre algo e, de repente, a poesia toma outra forma. Ou eu perco o foco, ou ela me conhece mais do que eu mesma.