Imagem do cabeçalho: "O Grande Canal de Veneza" (detalhe) de Turner

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

MARÉ

Que jamais me afogue
os olhos
a inundação ilusória,
maré onisciente
de algum azul permanente.

Yves Klein, Globo Terrestre Azul, 1962

7 comentários:

Luiza Maciel Nogueira disse...

belíssimo esse azul - bjo!

Tania regina Contreiras disse...

Que assim seja!
Beijos

D.Everson disse...

vc é uma metralhadora de versos

Lara Amaral disse...

O poeta também precisa enxergar o fogo, e a ausência de cor.

Beijo, amigo!

Jozi Elen Fleck disse...

Um mundo azul de verdade.
Venho aqui todos os dias para me preencher dele.
Lindo!
Abraços azuis sempre.
Jozi
O Lugar das Cores Escritas

LauraAlberto disse...

e se o fizer, que arda em fogo azul

Precisei de uma imagem de um prego, acabei por roubar mais um dos seus belissimos quadros, obrigada!

Beijos
Laura

Cris de Souza disse...

viva os camaleões!